Tanque de isolamento: Desligando seus sentidos

O estresse da vida moderna e a pressão que sofremos desde cedo para ter sucesso e sermos os melhores em tudo, por vezes nos faz querer sumir do mundo. Cansaço, desânimo, raiva, angústia, ansiedade. Muitos são os sentimentos que nos levam para baixo e nos fazem temer o futuro. Infelizmente isso é muito comum e muitas pessoas estão no limite. Mas e se houvesse um jeito de nos desligarmos de tudo e esquecer todos os males que nos afligem? Pois pode ser que a solução para esse problema esteja surgindo: o tanque de isolamento.

Ele promete ser um diferencial relaxante que o fará lidar melhor com os seus problemas e recuperar a tranqüilidade de viver. Quer entender como isso funciona? Veja só:

O que é o tanque de isolamento?

Os tanques de isolamento são recipientes sem luz, à prova de som, onde o indivíduo é colocado para flutuar em água salgada esquentadas à temperatura da pele. Geralmente ficam em áreas menos movimentadas, onde não haverá distração ou intervenção humana, exatamente para evitar distrações ou transtornos.

Para que são usados?

A grande intenção agora é usá-los para relaxamento e meditação, fazendo com que a pessoa se esqueça do mundo exterior e se libere das sensações de estresse a angústia.

Como isso começou?

A idéia original surgiu de pesquisas de neurocientistas buscando entender e controlar melhor as expressões sensoriais individuais. Dizia-se que quando todos os estímulos fossem cortados, e conseqüentemente a captação pelo cérebro, imediatamente haveria relaxamento e sensação de sono. A partir dessa hipótese, começou a se tratar a origem da consciência e a sua relação com o encéfalo.

A evolução

No início o usuário ficava totalmente submerso e então eram obrigados a usar máscaras de oxigênio. Isso era desconfortável e mascarava os resultados dos estudos, pois ninguém conseguia relaxar adequadamente. Eles perdiam a sensação de isolamento e conforto, por estarem em uma condição física desconfortável. Além disso, havia o medo de se afogar.

O modelo atual do tanque de isolamento

Então, após esses experimentos, evoluímos para o modelo atual, onde a solução salina permite melhor flutuabilidade e o indivíduo pode ficar com a cabeça não submersa. Os ouvidos são mantidos embaixo d’água, o que reduz bastante a capacidade auditiva. A água, que fica na mesma temperatura da pele, não pode levar cloro nem outra química. O usuário normalmente entra nu ou com roupa de banho confortável.

Essa nova modalidade de relaxar traz inúmeros benefícios. Somando o relaxamento de um banho de banheira – mas com a água salgada -, além da ausência de barulhos, distrações, luzes e pessoas, você pode atingir um nível de satisfação que o faça esquecer, ainda que temporariamente, todos os problemas da sua vida.

Joe Rogan, comentarista do UFC, é um grande adepto deste recurso, inclusive chegou a instalar um em sua casa. Menciona em seu podcast, que pode ser encontrado no YouTube, a quantidade de benefícios que lhe trouxe.

Embora pouco acessível nos dias de hoje, é definitivamente mais um recurso para manter a mente limpa e recuperar sua energia deixando seu organismo mais calmo e saudável. Quem sabe um dia você não terá um tanque desses na sua casa?

Neurofeedback: gerindo suas ondas cerebrais

Já imaginou poder monitorar as suas ondas cerebrais, descobrir quais são ruins para você e transformá-las em ondas boas, melhorando sua concentração, bem-estar, autogestão e desempenho? Tudo através de uma máquina ligada à sua cabeça, que fornece dados a um monitor! Parece coisa de filme de ficção científica, mas é uma realidade, que ganha cada vez mais adeptos e praticantes pelo mundo: o neurofeedback.

A melhor descrição que eu tive do neurofeedback foi: “É como olhar seu cérebro em um espelho”. O objetivo da terapia de neurofeedback é desenvolver o autocontrole das suas ondas cerebrais. Vai lhe treinar para evitar ondas que causem sintomas ruins e direcionar para comportamentos cerebrais que favoreçam os aspectos psicológicos e cognitivos. O neurofeedback também é conhecido pelos nomes de eletroencefalograma biofeedback e neurobiofeedback.

Como o neurofeedback funciona?

A terapia de neurofeedback normalmente acontece uma vez por semana e tem a duração total de 15 a 35 sessões. Por meio de um equipamento de eletroencefalograma (EEG) o terapeuta e o paciente têm acesso ao mapeamento das atividades cerebrais através de um monitor. O monitoramento é feito por eletrodos colocados no couro cabeludo do paciente (não há necessidade de cortar ou raspar os cabelos para encaixar o eletrodo).

Através do EEG e de softwares de análise, é criado um mapa de padrões das ondas cerebrais em tempo real, tornando-se possível identificar quais estão ligadas a sintomas como ansiedade, dificuldade de dormir, falta de atenção, mal-estar, dor e depressão. A partir daí, é possível cessar essas atividades cerebrais e direcionar para outras que sejam mais positivas.

O neurofeedback vem sendo bastante usado para auxiliar no tratamento de depressão, ansiedade, Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), dislexia, perturbações do sono e principalmente aumento da capacidade cognitiva.

Este último tem sido um grande impulsionador das atividades do neurofeedback, afinal quem não deseja ser mais inteligente? Muitas pessoas completamente saudáveis buscam o neurofeedback para aumentar sua performance na prática de esportes ou no trabalho.

É exatamente por este motivo que empresas ao redor do mundo lançaram seus kits para serem utilizados dentro de casa. Você recebe um equipamento e um software para instalar em seu computador e com alguns minutos por dia/semana, consegue fazer sessões de neurofeedback e desenvolver de alguma forma o seu auto-conhecimentoneural.

Neurofeedback realmente funciona?

A principal vantagem da terapia de neurofeedback é que ela é minimamente invasiva, não provoca dor, e não possui praticamente nenhum efeito colateral relatado em pesquisas. Diferentemente das drogas psicotrópicas, por exemplo, as mudanças promovidas pelo neurofeedback não afetam nenhuma outra parte da atividade cerebral ou do corpo como um todo.

Mas a pergunta que realmente importa… funciona? Ainda não temos uma resposta conclusiva, existem estudos apresentando os dois lados da moeda, quando funciona e quando não funciona. É algo novo e ainda existe um longo caminho de estudos e experimentos a ser percorrido. Mas não podemos deixar de observar a escala que recentemente tomou e quantas pessoas alegam ter ótimos resultados.

Da mesma forma, é importante salientar que nem todas as condições psicológicas ou psiquiátricas poderão ser tratadas dessa forma; não é uma terapia milagrosa, em alguns casos será necessário recorrer a outros tipos de psicoterapia e drogas psicotrópicas..

Também é importante destacar a necessidade de um tratamento consistente. Você sentirá melhoras logo após a primeira sessão, mas para ter resultados no longo prazo, é necessário estabilizar os novos padrões treinados. Lembre-se que o seu cérebro, durante anos da sua vida, aprendeu certos padrões. Modificá-los exige treinamento, esforço e tempo.

Café: o melhor estimulante do mundo

O café é uma bebida milenar proveniente da África e que se adaptou muito bem aos solos brasileiros. Tanto que hoje é um dos produtos de exportação mais importantes do país. A bebida é admirada em todo o mundo e está sempre relacionada com o ambiente empresarial. Tanto por suas características estimulantes, quanto por integrar a sagrada “parada para o cafezinho”. O café hoje é mais do que uma simples bebida matinal, pois ela carrega consigo tradição, qualidade e saúde. Esta bebida se tornou nobre, sendo possível prová-la em sabores variados, servida quente ou fria e mesclada com outros diversos ingredientes. Mas o que há de tão especial em uma xícara deste alimento?

Capacidade estimulante do café

A sua característica mais conhecida do é sua capacidade estimulante, devido a presença da cafeína em sua composição. Doses baixas ou moderadas desse composto, cerca de 50 a 300 mg, podem não só reduzir a sensação de sonolência e cansaço, mas também levar a uma importante melhora na concentração, estado de alerta e energia. A melhora cognitiva e psicomotora que o café promove é conhecida cientificamente e respaldada pela grande maioria dos centros de pesquisa mundiais. A título de curiosidade, 100 ml de café espresso contém cerca de 250 à 400mg de cafeína.

Alimento nutritivo

Além de saboroso e estimulante, a bebida é também um alimento nutritivo. Uma xícara é rica em antioxidantes, que combatem os radicais livres. Isso auxilia na diminuição dos efeitos colaterais da poluição, consumo de álcool, cigarro e do estresse. Contém também doses satisfatórias de vitaminas do complexo B, que são as responsáveis pela saúde mental e metabolismo humano. Além disso, o café é uma boa fonte de minerais como o potássio e o cálcio.

Melhora das cefaleias

O seu consumo está sendo associado a efeitos vasodilatadores em todo o organismo humano. Especialmente para quem tem cefaleias fortes e frequentes a ingestão moderada dessa bebida vem sendo recomendada, visto que um dos locais que sofre a ação vasodilatadora da cafeína é o cérebro. A diminuição da pressão sanguínea nos vasos cerebrais ajuda a aliviar o desconforto em alguns pacientes que consomem café na sua dieta.

Controle de peso

Outro efeito positivo da ingestão de café que está sendo amplamente estudado é a sua capacidade de auxiliar no controle de peso. A cafeína apresenta ações termogênicas que, teoricamente, aumentam de maneira importante o metabolismo corporal e o gasto energético total. Sabe-se que realmente há alteração no metabolismo após o consumo de doses moderadas de café, porém o seu efeito no gasto energético, e consequente diminuição do peso, ainda não podem ser confirmadas.

Diurético

Alguns grupos de estudo científicos associam o café ao aumento da produção de urina e volume da diurese. Essa característica pode ser positiva por contribuir com o bom funcionamento renal e com a eliminação mais eficiente de eletrólitos como o sódio, regulando seus níveis.

Apesar de várias características positivas o café, se não consumido com moderação, pode levar a sintomas desagradáveis e indesejados.

Cuidado com a dependência

A cafeína, apesar de não ser considerada um composto viciante, pode levar o indivíduo a uma leve dependência ao seu consumo. Essa situação é bastante comum nos consumidores pesados de café ou outras bebidas com concentração alta deste composto. Nestes casos, quando há interrupção do consumo da cafeína, o indivíduo pode apresentar dores de cabeça, sensação de fraqueza, irritabilidade e sonolência. Esses são sintomas muito similares a abstinência de produtos como o álcool e algumas drogas. Para evitar esse quadro é importante ressaltar que o café, ou qualquer outra bebida com alto teor de cafeína, deve ser consumido sempre com moderação.

Cuidado com azia

O café pode causar desconfortos gastrointestinais, se consumido com frequência e em quantidades maiores. Esse quadro não é comum a todos os consumidores da bebida, porém há relatos de azia, gastrite, cólicas e outros desconfortos gastrointestinais após o consumo de café.

Como exemplificado no texto, o café é uma bebida natural, saudável, atraente e saborosa. Os cuidados com o consumo pesado da bebida são os mesmos para qualquer alimento: a moderação é a chave do sucesso, para extrair o melhor das características positivas do café sem sofrer com seus efeitos colaterais.

Melatonina: aprenda a regular o seu sono

Você já ouviu falar da melatonina? É um hormônio que o nosso corpo produz naturalmente, mas que também pode ser encontrado numa versão sintética, para ser ingerido como suplemento. Se você sofre de insônia e gostaria de regular seu sono, eis um bom suplemento para te colocar no eixo.

Como a melatonina atua

A melatonina é um hormônio secretado naturalmente pela glândula pineal, que está localizada no cérebro. Ela é produzida quando há ausência de luz e sua função mais estudada e conhecida é a de regular o relógio biológico, fazendo com que tenhamos sono a noite e mais disposição pela manhã.

Numa pessoa com os horários biológicos normais, acordando pela manhã e dormindo pela noite, o pico natural de produção de melatonina varia entre 2 e 3 horas da manhã.

Existem alguns fatores que podem causar a redução dos níveis de melatonina. O primeiro é a alteração na rotina natural do corpo humano, o que acontece em pessoas que trabalham no turno da noite e dormem de dia. Isso acontece porque a luz, mesmo artificial, inibe a produção da melatonina. O envelhecimento também leva à redução da produção do hormônio. Outro fator, este mais temporário, é o famoso jet-lag. Ele ocorre quando fazemos uma viagem para um local com fuso-horário muito diferente do país original.

A versão sintética do hormônio atua exatamente nas funções de regulação do relógio biológico, induzindo o sono e fazendo com que se tenha um ciclo de sono mais reparador e profundo.

A melatonina realmente funciona?

Sim! Existem muitos trabalhos científicos que comprovam a eficácia da administração da melatonina no combate à insônia. A suplementação do hormônio ajuda a regular o relógio biológico do corpo, tornando mais eficientes as funções cerebrais que levam ao sono no período da noite. É ideal para quem tem o sono muito agitado ou dificuldades para dormir.

A eficácia para os viajantes é largamente conhecida. Não à toa, a melatonina já é usada por pilotos de avião e tripulação há pelo menos duas décadas. O suplemento ajuda a reverter rapidamente os muito desagradáveis efeitos do jet-lag. E quem viaja muito sabe: esses efeitos podem durar vários dias.

Preparação

Durante muito tempo tive dificuldades para dormir. Posso garantir que a Melatonina foi uma das grandes responsáveis por me auxiliar a aprender a dormir. Como eu sempre digo, sou contra a ingestão de qualquer tipo de medicamento se existe qualquer alternativa natural.

Dormir é uma questão de preparação e a maioria das pessoas não sabe se preparar para dormir. Primeiro garanta que você tenha um ambiente com as seguintes características:

  • Silêncio
  • Ausência de luz
  • Uma cama confortável (confortável não significa mole, a minha por exemplo é ortopédica e bem firme).
  • Temperatura regulada

Deite com o estômago não muito cheio e depois é só relaxar. Televisão, computador, celular ou tablet são as piores coisas para preparar você para relaxar. Uma música calma ou um audiobook te permite fechar os olhos e se concentrar em algo (uso este fone para dormir: http://www.sleepphones.com). Isso induz a produção da melatonina, que naturalmente induzirá o sono. Ou quem sabe leia um livro por alguns minutos, depois feche os olhos e tente dormir.

No auge do meu distúrbio do sono, tomei Melatonina por aproximadamente um ano, quase diariamente. Este processo foi fundamental para que eu pudesse regular meu sono e aprender a dormir bem. Atualmente eu raramente utilizo melatonina, limito o uso a viagens para evitar jet-lag ou dias que estou muito cansado e muito agitado para dormir.

Benefícios além do sono

Recentemente pesquisas científicas vêm mostrando vários outros benefícios da melatonina além do controle dos ciclos do sono. Os mais impressionantes são os referentes a melhora do sistema imunológico, redução do envelhecimento das células e até mesmo a possibilidade de prevenir o câncer.

Outros estudos apontam ainda a prevenção de infartos, redução da hipertensão arterial durante a noite e até mesmo a depressão. Esses e outros benefícios recentemente levaram algumas publicações pelo mundo a chamar a melatonina de superremédio.

Principais cuidados

Como qualquer hormônio exógeno, a melatonina exige alguns cuidados. Primeiramente, as mulheres grávidas ou que estejam amamentando não devem tomá-la. Assim como em crianças e adolescentes com menos de 12 anos. Pessoas com diabetes, hipertensão ou depressão também devem consultar o médico para analisar possíveis interações com os medicamentos que tomam.

A maioria dos efeitos colaterais da melatonina acontecem quando ela é tomada em excesso. A dose recomendada costuma variar entre 2 e 10mg. Os efeitos colaterais, em sua maioria, cessam assim que se suspende a ingestão do hormônio e incluem dores de cabeça, fadiga, sonolência pela manhã, irritabilidade e dores de estômago. Se sentir qualquer um desses sintomas, suspenda a melatonina imediatamente.

Onde comprar

No Brasil não é das tarefas mais fáceis comprar melatonina. Eu só consegui através do meu médico, mas foi um fortuna. Nos Estados Unidos você encontrará em qualquer supermercado ou farmácia a partir de U$10,00. Também encontrará em diversos sites que entregam no Brasil, um exemplo é o iHerb (http://www.iherb.com).

Lembre-se: não sou médico e não recomendo a utilização de qualquer remédio ou suplemento. Este artigo é apenas informativo, e se você está com qualquer distúrbio do sono, busque um médico.

A pílula da inteligência mais usada no mundo: Modafinil

Escrever sobre Modafinil no último artigo de biohacking foi um sucesso, um relato sobre o uso do smart drug Modafinil, apesar de longo, muito interessante. Como bastante gente se interessou pelo tema, hoje entro em mais detalhes sobre a tão famosa pílula da inteligência.

O modafinil é um fármaco desenvolvido para o tratamento da narcolepsia (situação patológica caracterizada pelo sono excessivo) e da apnéia obstrutiva do sono. Porém, nos últimos anos, o seu uso para aumento da concentração, da capacidade cognitiva e do período desperto tem se tornado muito popular. Especialmente em ambientes acadêmicos, estima-se que 1/4 dos estudantes das principais universidades tenham experimentado Modafinil.

Muitas pessoas já fazem uso de drogas para turbinar seu raciocínio. Entre as substâncias mais corriqueiras nesse uso podemos citar a cafeína, efedrina e a ritalina. Entretanto, o modafinil está faturando fortunas e sendo vendido de maneira assustadora em todo o mundo. É a pílula da inteligência do momento. Sua popularidade é tamanha que cientistas já fazem pesquisas sobre seus efeitos e vêm obtendo resultados surpreendentes.

Os relatos pessoais também atestam melhoria em diversos aspectos, mas a que preço isso vem? A droga é realmente segura? Quem pode e quem não pode fazer uso? Vamos explicar os conceitos básicos dessa substância e esclarecer os riscos do seu uso, especialmente quando não for precedido de orientação médica.

O que o modafinil faz?

Sua principal ação consiste em aumentar a concentração de dopamina, norepinefrina, acetilcolina e serotonina na fenda sináptica. Esses neurotransmissores têm relação direta com o estado de alerta e sono, sendo preponderantes na regulação do ciclo circadiano. Esse aumento tem como resultado a ampliação do poder de concentração e a diminuição da necessidade de sono, estendendo o período desperto. Com isso, o modafinil acaba produzindo efeitos psicológicos como excitação e aumento da autoconfiança.

Como o modafinil é tomado?

Seu modo de uso mais comum consiste na ingestão, uma vez ao dia, de um comprimido de duzentos miligramas. Geralmente é tomado de manhã no tratamento da narcolepsia ou da apnéia obstrutiva do sono.

Quais são as contra indicações?

Na verdade esse medicamento só deve ser prescrito para pacientes portadores das patologias específicas e que também possuam capacidade de saúde compatível com seu uso. Mas as contra-indicações específicas são para crianças, hipertensos e pessoas com histórico de arritmias cardíacas.

Quais são os efeitos colaterais da tão famosa pílula da inteligência?

Os efeitos colaterais provocados pelo modafinil são irritabilidade, excitação, tremores, tontura, dor de cabeça, náusea, dor abdominal, pressão alta e palpitações. Esses efeitos podem ser muito perigosos, especialmente para quem possui problemas cardíacos ou circulatórios, precipitando arritmias e acidentes vasculares. Já foi relatado também o surgimento de problemas de pele decorrentes do uso.

Existem pessoas como Dave Asprey, que afirmam ter utilizado o medicamento por diversos anos consecutivos, sem qualquer efeito colateral e ter conquistado grandes beneficios. Ele afirma também ter “aprendido” a operar seu corpo de uma forma mais eficiente.

Nomes comerciais

No Brasil, a pílula da inteligência é distribuída sob o nome de Stavigile. Porém no exterior ela é comercializada sob alcunhas como Provigil, Vigil, Modioda, Modavigil, Vigicer, entre muitas outras.

Opiniões do meio científico

Muitos estudos vêm sendo realizados a respeito dos efeitos benéficos ou não desse medicamento. Embora se aconselhe como consenso que o remédio só tenha uso com prescrição médica, houve até um manifesto assinado por pesquisadores de sete universidades dos Estados Unidos pedindo a liberação do fármaco, pois sua melhora na capacidade cognitiva traria diversos benefícios para a ciência.

O Ministério da Defesa do Reino Unido também fez um estudo bem interessante com diversas drogas incluindo Modafinil e seus efeitos no âmbito militar, e os resultados são bem interessantes.

Acredite na sua capacidade!

Embora não seja raro ouvir que o uso de estimulantes da inteligência seja magnífico e não acarrete efeitos colaterais, as consequências que seu uso pode causar não estão claras. Existem maneiras mais saudáveis de planejar seu tempo e instigar sua mente para obter os resultados que você precisa. A começar pela dieta e atividade física. Será que compensaria arriscar sua saúde em troca de horas de concentração e excitação? Faça valer sua inteligência desde já, opte pelo caminho saudável para alcançar seus objetivos. O trajeto pode parecer mais longo, mas com certeza será mais seguro!