Empreendedorismo

Dicas para estabelecer salários para os sócios fundadores


Uma das dúvidas mais comuns dos empreendedores que decidem tirar a ideia de uma startup do papel é quanto à definição dos salários dos sócios fundadores. Essa realmente não é uma tarefa fácil por dois motivos simples e divergentes: #1 os fundadores merecem remunerações significativas em razão da capacidade profissional e da alta carga de trabalho a que se submetem; #2 a empresa ainda em fase embrionária não tem recursos suficientes para arcar com um pró-labore justo.

Partindo de tal ponto de vista, você já deve ter percebido que encontrar equilíbrio para essa equação complicada é um grande desafio! Mas saiba que, embora difícil, fechar essa conta é perfeitamente possível. Prestando atenção às dicas abaixo sua startup conseguirá se livrar do dilema da definição dos salários dos sócios fundadores. Aliados a algumas doses de diálogo e bom senso, os itens da lista te ajudarão a encontrar uma solução para o impasse.

Seja realista

Para começar sua missão, responda a essa questão simples: quanto você tem disponível? Não adianta desejar um salário exorbitante se a empresa simplesmente não tem condição de pagar. Entenda que uma startup significa muito trabalho e ponto! Opte por uma remuneração modesta agora e encare sua dedicação como um investimento. Futuramente, quando o negócio ganhar o mercado, você e seu sócio terão condições de aumentar o pró-labore e até mesmo de fixar retiradas anuais. Pode parecer clichê, mas a máxima é: “plante agora para colher bons frutos no futuro”.

Faça a contabilidade

Você já está consciente de que terá de receber um salário relativamente baixo nesse primeiro momento do negócio. Mesmo assim, ainda está na dúvida de como chegar ao valor ideal? A solução é simples: faça a contabilidade! Levante quais são os gastos (tudo mesmo) e subtraia da média de faturamento da startup. O que sobrar é o lucro, o recurso que você e seu sócio possuem para investir no crescimento do negócio. O pró-labore deve sair de um percentual desse montante. Então, coloque tudo na balança para verificar de quanto a startup pode abrir mão nesse momento para destinar aos rendimentos dos fundadores.

Analise a faixa de salário do seu time

Ainda na dúvida? Um bom parâmetro para definição dos ganhos dos sócios é a faixa salarial da equipe. Muitos fundadores tendem a pensar que devem receber remunerações mais altas do que as do restante dos funcionários. Mas saiba que o raciocínio está errado! Esse é o momento em que sua startup mais precisa dos colaboradores. Então não há nada de mal em receber salários iguais aos deles. Em alguns casos, há os funcionários estrelas, essenciais para o bom andamento do negócio, que receberão até mais do que os sócios fundadores. Tudo pelo crescimento da startup!

Garanta a sobrevivência financeira dos sócios fundadores

Para terminar, a dica é: defina um valor que permitirá a manutenção financeira dos sócios. É certo que vocês vão ter de encarar um pró-labore modesto, mas também não devem assumir medidas extremas e abrir mão da remuneração! Se o fundador não tiver como se manter, certamente vai desistir do negócio para procurar um bom salário no mercado de trabalho. E não é isso o que você e seu parceiro querem, certo?! Então lembre-se: garantir a sobrevivência dos sócios é garantir que a startup estará fora de risco!

Empreendedorismo
Startups: Você está preparado?
Empreendedorismo
Startups: Sangue empreendedor
Empreendedorismo
Startups: Sócios co-fundadores
  • Marcos Franklin

    Muito interessante o Artigo, mas o que ficou a dúvida é, o sócio fundador, tem salário e também participação nos lucros? ou seria a mesma coisa?