Empreendedorismo

Eduardo Sorensen – Como saí da zona da conforto e criei meu primeiro app


Eduardo Sorensen passou por algo que você já deve ter passado, como fazer para sair da zona de conforto e lançar um produto para ter uma receita extra mensal.

Pela primeira vez no meu blog, decidi liberar o conteúdo escrito por um convidado. Tenho certeza que você se identificará com a situação e espero que se motive para sair da zona de conforto e lançar o seu produto também:

Há 10 anos trabalho em uma Organização cuja cultura empresarial é baseada em empresariamento, e sentir-se “dono” do negócio faz parte do dia-a-dia. O senso de responsabilidade, confiança e disciplina sempre estiveram presentes em todas as minhas ações para superar os desafios propostos a cada ano. Estes anos foram (e ainda estão sendo) de muito crescimento profissional, e serviram para estimular ainda mais a vontade de ser dono de verdade de algo.

Mas o que fazer? “Largar tudo” para empreender? Afinal, gosto de onde trabalho, é desafiador, recompensador, boas perspectivas para o futuro. E então, o que fazer?

Formação Pessoal

Desde pequeno me identifiquei com “os eletrônicos”. Meu primeiro computador foi com 7 anos de idade, e a identificação foi instantânea (não significa que não andei muito de bicicleta na rua!). Linux fez parte do meu dia-a-dia desde a infância – aliás, foi assim que conheci Marcelo Toledo, amigo, grande profissional na área de tecnologia e empreendedor de primeira linha. Toledo foi uma influência importante para me ajudar, nestes últimos meses, a sair da comodidade.

A experiência avançada em informática associada ao gosto pela coisa me fez escolher esta via para iniciar o “Projeto Eu Empreendedor”.

O gatilho

Um dia, há uns 4 anos, estava passeando pela App Store (loja de aplicativos da Apple), e vi um anúncio do jogo Tetris, com preço promocional de 1,99 dólares, comemorando 100 milhões de cópias vendidas. Fiquei pirado com minha falta de ação! Afinal, também posso fazer isso! E então começou a saga pelo “App do milhão”.

O desafio para começar

Para iniciar esta saga, sabia de algumas coisas:

  1. Ainda queria continuar trabalhando no mundo corporativo
  2. Precisava de algo com baixo investimento
  3. Queria conseguir aprender sozinho

Minha decisão foi iniciar um aplicativo que, ao mesmo tempo fosse simples em seu desenvolvimento, fosse útil para o público alvo.

A ideia veio de uma necessidade própria. Aliás, busco sempre fazer esta reflexão: se eu pagaria por algo, acredito que outras pessoas também pagariam.

Decidi então criar o iCPC, que reúne todos os termos referenciados nos documentos do CPC (Comitê de Pronunciamentos Contábeis), e também inclui os respectivos documentos para acesso offline.

O aplicativo: parte 1 (iOS)

A solução para o como fazer veio através do iTunes U, plataforma de ensino da Apple com diversos cursos livres oferecidos. A escolha foi a série de aulas de iOS Development oferecidas por Paul Hegarty da Stanford University.

Após muitas horas de vídeos, leituras, cópias de código e testes, comecei a fazer meu primeiro aplicativo, o iCPC. Sabia que não seria o “App do Milhão”, pois o público deste aplicativo é razoavelmente restrito:

Profissionais e estudantes do ramo da administração, contabilidade, finanças, ou outras áreas que trabalham frequentemente ou eventualmente com temas de contabilidade. Bom, até que o público não é tão restrito assim!

O lançamento do iCPC na App Store foi em abril de 2014. Não chegou ainda a 1 milhão de cópias, mas todos os meses centenas de downloads são feitos!

A estratégia de crescimento do iCPC passava necessariamente pelo desenvolvimento para Android, já que na primeira divulgação que fiz, um professor de contabilidade me perguntou:

— Existe versão para Android? 90% dos meus alunos usam Android.

Minha resposta:

— Ainda não, mas está em desenvolvimento e assim que estiver disponível eu aviso.

Pois bem… este “desenvolvimento” demorou 4 anos!

Desculpas tenho muitas: outras prioridades, trabalho, família, esportes, ou seja, muitas coisas ocupando as “horas vagas” e deixando este assunto de lado.

O aplicativo: parte 2 (Android)

Recentemente recebi um e-mail do meu amigo Marcelo Toledo com título “0.001% da população”, e um trecho me incomodou profundamente:

“O melhor dia para plantar uma árvore foi há 20 anos atrás; o segundo melhor dia é agora”

Hora de agir! Mas e aí, como fazer o aplicativo do Android rapidamente? De fato, no momento de vida que estou agora, minha realidade não permitiria aprender sozinho a desenvolver em Android para fazer a portabilidade, da mesma forma que fiz para iOS. Mas no mundo do empreendedorismo, não precisamos fazer as coisas sozinhos! Aí que conheci o UpWork.com, site que reúne freelancers, entre eles, de desenvolvimento de mobile software.

Em apenas um dia fiz o cadastro da “encomenda” e na hora seguinte já tinha 10 propostas. Fiz a seleção com base na experiência e custo de cada um, e consegui, 3 dias depois com baixo custo, ter o iCPC  para Android publicado na Google Play.

Conclusão e Lições aprendidas

  • Uma vez que você faça algo, portas começam a abrir e muitas oportunidades surgem;
  • Não é necessário esperar um “App do Milhão” para começar a fazer algo que gere receita;
  • Caso não tenha tempo ou a competência necessária para fazer algo sozinho, busque quem tenha e terceirize o problema;
  • E principalmente, não aguardar mais “20 anos” para tomar a próxima ação. Não podemos ficar parados. A hora de empreender é agora!
Empreendedorismo
Startups: Você está preparado?
Empreendedorismo
Startups: Sangue empreendedor
Empreendedorismo
Startups: Sócios co-fundadores