Fred Wilson sobre o mercado de música

Coincidência ou não, quando abro meu google reader pela primeira vez hoje, vejo um post do Fred Wilson falando a respeito de música. Pasmem, como se ele tivesse lido meu post anterior e comentado em inglês no blog dele. Sonho meu.

Ele conta o cotidiano da família Wilson e a relação com a música. Eles são bons consumidores de música digital, fazendo uma conta rápida, estima que gastam aproximadamente dois mil dólares por ano.

Ele inicia a narração contando que estava em seu Twitter no dia 3 de Fevereiro, e ao rolar a tela passa por um Tweet que lhe interessa, um comentário sobre um novo album de uma banda que ele adora. Clique instantâneo, comenta.

Decide imediatamente que iria comprar, não encontra na iTunes nem emusic. Parte para a Amazon e encontra, porem em CD, que só estaria disponível no dia 15 de Fevereiro. Quem quer comprar plástico hoje em dia? Continua procurando e encontra uma versão em mp3 na Amazon UK, que só estaria disponível no dia 4 de Fevereiro.

Faz uma nota mental e volta no dia 4 para concluir a compra. Ao prosseguir é apresentado com a seguinte mensagem:

“We’re sorry. We could not process your order because of geographical restrictions on the product you were attempting to purchase. (…)”

Para resolver o problema e conseguir comprar o album, ele tenta encontrar uma VPN na Inglaterra, encontra diversos serviços, mas nada que fizesse sentido economicamente, já que o album custava 5 libras.

Fred Wilson estava com o dinheiro na mão, pesquisou durante vários minutos para comprar um album e não conseguiu. Foi paciente e aguardou até o dia seguinte para comprar, novamente não conseguiu. Resultado?

Abriu o torrent, fez uma pesquisa e em menos de 1 minuto estava com o CD inteiro pirateado em seu computador.

Entende agora porque o mercado de música esta falido?

5 Comments Fred Wilson sobre o mercado de música

  1. Pingback: Tweets that mention Fred Wilson sobre o mercado de música | Marcelo Toledo -- Topsy.com

  2. Alexandre Strube

    Aconteceu a mesma coisa com o segundo tropa de elite. Cheguei a escrever pra produção querendo saber onde eu poderia ver no cinema na europa (não fui nem seletivo, falei que qualquer lugar da europa tava valendo!). Disseram que cinema era um no-no. Perguntei então por dvd. No-no, não vende aqui. E não posso comprar um brasileiro, porque meu dvd player (o xbox e o macbook pro) tem o bloqueio no firmware, não no sistema operacional.

    Conclusão…. Me levou 20 segundos pra achar o filme por aí. E isso que eu quis comprar.

    1. Marcelo Toledo

      Não da pra entender, né Surak? Ao invés de perderem tempo buscando formas que impedir a pirataria, deveriam investir mais tempo em como capturar a montanha de dinheiro que esta voando por aí…

  3. Fabrício Ferrari de Campos

    hahaha

    É rir para não chorar. Como pode acontecer isso num mundo capitalista?

    O caso do Fred Wilson poderia ser uma exceção, porém acredito que não seja, principalmente para nós brasileiros.

    Nestes casos abrir o Google e digitar junto com o que você quer, a palavrinha “torrent”, pode ser feito sem nenhum peso na consciência. Afinal, infelizmente muitas gravadoras e bandas esquecem que vivemos num mundo globalizado (aliás, falar isso é tão irrelevante hoje, por ser óbvio), e que existem consumidores fora do EUA.

    E as pessoas gostam de compartilhar o que gostam, não é a toá que há tantos servidores de hospedagem de arquivos e redes P2P. E até os consumidores mais conscientes quanto aos direitos autorais e que não acham justo, utilizar tais meios, acabam se rendendo a eles, em situações como a do Fred Wilson. Afinal é muito mais fácil adquirir um CD por esses meios, do que pelo meio convencional.

    Será que ninguém numa gravadora, pensou em fortalecer a relação de fã com a banda? Criando planos anuais, com direito a cds, vídeos exclusivos, cartões autográfados, etc?

    Abraços! E bem legal colocar esse assunto mais uma vez em foco Marcelo.

    1. Marcelo Toledo

      A ideia de fidelização dos fãs é fantastica, tenho certeza que teriam diversas maneiras de fazer isso vingar. Na minha cabeça não faz sentido a não movimentação para retomada do mercado. Só posso acreditar que estão quebrados e não existe mais folego. Acho que mercado vai para novas empresas do segmento, como Pandora, Last.fm, grooveshark, etc.

Comments are closed.