Empreendedorismo

O Poderoso Chefão


Escrevi este artigo em 2011 à convite da revista Administradores, veja como essa obra prima sobre a máfia tem tantas lições para nos passar:

Você pode até não ter assistido o filme O Poderoso Chefão, mas é quase certo que já tenha ouvido falar. Independente de qual seja a sua situação, não precisa se envergonhar, eu mesmo demorei vinte e oito anos para assistir.

Hoje com trinta, dois anos após ter assistido pela primeira vez, aqui estou em um sábado à tarde, sentado no escritório da minha casa, escrevendo com a maior empolgação, sobre um filme que conta a história da família mafiosa Corleone.

O filme é uma verdadeira obra de arte de 1972, que parece ter as mesmas características de um bom vinho, amadurece com o tempo e se torna mais aromático e saboroso. Quase 2012 e não tem tecnologia que o faça menos interessante, e o que incomoda a todos, é que após assisti-lo, você passa a enxergar os mafiosos com uma certa admiração.

Para mim, este é um filme sobre valores, e é exatamete por isso que ele se torna melhor com o tempo. Tempo que parece ter roubado de todos nós, esses valores fundamentais para termos orgulho de quem somos. Valores que eu perdi e você também, e quer saber? Deveríamos recuperá-los.

É uma aula de administração, de empresas, de negócios, de amigos, de família, de amor, de ódio, de equilíbrio, de sabedoria, de respeito.

Durante todo o filme vemos demonstrações de como a família é importante acima de qualquer coisa. Passar tempo com a família é um pré-requisito, dar risada e se divertir também. Beijos e abraços carinhosos são distribuídos, mesmo entre os homens.

Muitas das refeições são feitas com todos a mesa, e lá não se fala sobre negócios, é proibido. Tenho certeza que celulares se existissem na época, também seriam. Este é um momento sagrado para reunir a família, comer bem, beber um bom vinho, dar risada e relaxar.

Mas a vida dos Corleone não era só diversão, todo o dia e noite era de muito trabalho, afinal, eles eram mafiosos extremamente poderosos e tinham muitos negócios e conflitos para gerir.

O chefe da família, Don Vito Corleone, seria um perfeito presidente de empresa. Uma pessoa absolutamente calma e confiante em qualquer situação, mesmo as mais complicadas. Antes de tomar qualquer decisão, escutava sem interromper todos os seus conselheiros, pensava, refletia e quando saia de sua boca uma voz sempre serena, suas ordens eram cumpridas imediatamente.

Para não dizer que sua vida era fácil, os conflitos eram tantos que chegou ao fundo do poço. Mal havia escapado da morte, após levar cinco tiros, descobre que seu império estava desmoronando, as cinco famílias mafiosas estavam em guerra e seu filho mais velho, acabara de ser assassinado. Ao ouvir esta notícia de seu outro filho, ele abaixa a cabeça e começa a chorar, poucos segundos depois, com uma profunda inspiração, se recupera e diz: Eu não quero investigações, não quero atos de vingança e quero uma reunião com os chefes das cinco famílias. Essa guerra termina agora!

Em um primeiro momento, talvez você termine o filme querendo ser parte da família Corleone e ser um verdadeiro mafioso. Mas quando o efeito ficcional passar e você voltar a realidade, espero que assim como eu, você abomine atos ilícitos, e que a única coisa que você queira copiar deles, são os valores.

Faça o que tiver de fazer, mas ame e respeite a sua família em primeiro lugar. Tenha respeito pelo próximo, trabalhe duro, tenha calma, sabedoria, escute, ajude quem precisa.

Categoria Ferramentas
Organização pessoal: Como se tornar extremamente eficiente
Categoria Ferramentas
Como ser mais produtivo: remova aquilo que te atrapalha
Negócios
Quanto tempo você vai demorar para entender?
  • Andre Gomes

    Eu vi esse filme faz 1 ou 2 meses.. 3 filmes muito longos e realmentr eh uma obra prima. Concordo com o que voce disse. Chega ser uma obra motivacional para homens.

  • Pascoal T Pascoal

    Show..Parabéns Marcelo…a trilogia é realmente contagiante..