Empreendedorismo

Startups: Minha ideia é boa?


Avançando nos posts semanais sobre startups, finalmente deixamos a parte mais conceitual e seguimos para colocar a mão na massa. Vamos falar sobre como saber se você tem uma boa ideia de negócio!

Você leu todos os posts anteriores e chegou a conclusão que realmente está pronto e preparado para abrir sua startup, surge a pergunta: Qual o primeiro passo?

O primeiro passo é se concentrar no desenvolvimento de uma ideia. No artigo passado em que falei sobre o valor das suas ideias para sua startup, mencionei que uma ideia vale quase nada, mas nesta fase, seu valor muda de figura e ela começa a ter pesos para serem confrontados e lhe auxiliar a decidir qual delas é mais interessante.

Como saber se a sua ideia é boa

Não existe uma fórmula mágica para definir se uma ideia é boa ou não, mas existem diversas características que você deve se preocupar, que irão classificar suas ideias e servir como apoio para decidir qual executar.

Seu ramo de especialidade

É muito comum que as pessoas pensem em fazer algo diferente do que elas realmente tem experiência. Noto que muitos desses casos, é parte de uma fuga, por estarem tão cansados do dia-a-dia como empregado, que pensam em empreender, mas desde que não tenha relação com a rotina atual.

Não cometa essa erro. Desenvolva ideias na sua área de especialidade. Não queira inventar um foguete, se você não entende nada de foguetes. Ou um sistema operacional, se você não entende nada de sistemas operacionais. Faça o que você já sabe fazer e tem experiência, dessa forma você minimiza os riscos e aumenta as chances de ter sucesso.

Baixo investimento

Ter ideias que exigem um custo de implementação alto é fácil, não precisa ser gênio. Deixe isso para os grandes, que tem mais experiência e dinheiro. Você tem outra realidade, precisa se concentrar em negócios que tenham investimento quase zero. Mesmo que você esteja em um segmento que exija capital, acredite, sempre existe uma forma mais barata de executar um negócio.

Escalabilidade

Qual é o tamanho do mercado que você irá trabalhar? Uma vez que você encontre o modelo para crescer, até que ponto será possível escalar sua empresa? Quanto maior a possibilidade de escalonamento, mais interessante o negócio fica. É bom ter isso muito claro antes de decidir qual ideia você desenvolverá, porque se o seu mercado for muito verticalizado e segmentado, pode ser que não tenha público suficiente para o sucesso. Minimize os riscos e priorize os negócios que sejam escaláveis.

Viabilidade financeira

Saiba claramente como fazer a formação de preços do seu produto ou serviço, entenda qual sua margem, impostos, custos fixos e variáveis envolvidos. Não é necessário se aprofundar nesta fase, o importante é detectar prematuramente ideias com erros básicos. Que tenham margens muito baixas, ou produtos/serviços que ficarão com preços incompatíveis com o segmento ou pouco competitivos.

Competidores

Se você vai entrar num mercado competitivo, é fundamental ter um mapa de todos os concorrentes, e acima de tudo, saiba como irá se diferenciar do restante. Onde está seu valor? Porque as pessoas enxergarão que você é mais interessante que os atuais concorrentes? Não existe certo ou errado aqui, confrontando as ideias você conseguirá identificar qual tem maior chances de ganhar market share.

Riscos

Todo negócio tem risco. Quais são os riscos do seu? Você é dependente de algum fornecedor? De algum cliente? De alguma plataforma? Algum concorrente para se preocupar? Variação do câmbio? São infinitas as possibilidades, liste os riscos das suas ideias e leve em consideração antes de avançar.

Conclusão

Pense. Pense. Pense. Depois coloque tudo no papel, defina valores para cada um dos tópicos mencionados acima, crie novos se fizer sentido, e por fim, faça uma classificação por prioridade, para finalmente chegar a uma conclusão e selecionar a sua ideia.

O próximo passo chama-se validação da ideia. Selecione amigos ou pessoas estratégicas, que tenham conhecimento do segmento que você pretende entrar, de preferencia neste momento, pessoas de confiança. Apresente a ideia, conte todos os detalhes e veja qual a reação da pessoa. Repita isso com diversas pessoas distintas, até você estar convencido de que vale a pena ir a diante e executar. Ou caso a reação seja negativa, assumir que não foi uma boa ideia e desenvolver uma outra.

Neste artigo eu não quis misturar com as considerações da parte de execução, estas eu falarei mais pra frente, em artigos exclusivos, focados em execução.

Na sua opinião, quais outros cuidados um empreendedor deve ter ao selecionar sua ideia? Deixe um comentário.

Empreendedorismo
Startups: Você está preparado?
Empreendedorismo
Startups: Sangue empreendedor
Empreendedorismo
Startups: Sócios co-fundadores